A maioria dos produtos perde 30 por cento dos nutrientes três dias após a colheita

A maioria dos produtos perde 30 por cento dos nutrientes três dias após a colheita

texto traduzido da chicago tribune

Há alguns sábados, tive a sorte de passar a manhã carregando produtos frescos do mercado dos fazendeiros e depois não fazer nada além de cozinhar e comer com meus entes queridos durante toda a tarde.

E, eu não quero me gabar (muito), mas esta manhã eu arranquei várias folhas de acelga de um pote na minha varanda e as cortei para fazer um omelete delicioso.

Embora muitos horários e situações de vida não permitam esse tipo de alimentação super fresca, a ciência da nutrição indica que é uma das maneiras mais saudáveis ​​de fazer isso.

Não importa quantas vezes eu o leia, sempre fico surpreso com a rapidez com que os produtos frescos perdem seu valor nutritivo após a colheita. 

Estudos da Universidade da Califórnia mostram que os vegetais podem perder de 15 a 55% da vitamina C, por exemplo, em uma semana. Alguns espinafres podem perder 90% nas primeiras 24 horas após a colheita.

Caramba. Isso não é um bom presságio para os brócolis borrachudos na minha batata frita.

Felizmente, estamos no meio da estação de cultivo e em uma época de abundantes mercados de produtores.

Em algumas áreas, os produtos do mercado dos agricultores custam o mesmo ou menos que os produtos dos supermercados. Infelizmente, esse geralmente não é o caso em Chicago [nem em São Paulo]. 

Ainda assim, estudos mostram que esses mercados também fazem muito para manter o dinheiro na economia local e nas mãos das pessoas que produziram os alimentos, e não daqueles que os comercializam, rotulam e distribuem.

Fechar Menu
Scroll Up
×